sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Até o Alfred dá voltas no caixão

Obama é o mais recente prémio Nobel da Paz. Com certeza que fez tanto para merecer o prémio como Kofi Annan, D. Ximenes Belo e Ramos-Horta, o Dalai Lama ou ainda a Madre Teresa de Calcutá. Afinal de contas, o propalado reforço das tropas no Afeganistão e a não retirada das tropas no Iraque só pode ser mesmo acto de um pacifista por natureza, um cravo de paz como o mundo não viu igual no último ano.

Ou então deixo-me de ironias e merdas e contato que afinal ainda há quem consiga ir mais longe no campo da parvalheira. Confiram.

4 comentários:

Helder Rodrigues disse...

tens razao... e nao tens....

ja viste a serie 24??lol
temos de pensar que tb se nao sao coisas destas, o medio oriente sem vigilancia prepara o que quer e um dia manda o que lhes apetecer pelo ar!!!!

Tiago de la Rocha disse...

O Médio Oriente nunca fez mal ao mundo ocidental, vai fazer agora porquê?

Helder Rodrigues disse...

pah eu nem digo sim nem nao...
nao tenho opiniao completamente formada....

axo que tb ja se evitou mt coisa que poderia ter acontecido no mundo ocidental.... afinal tal prisao que vai acabar, que nao me lembro do nome, esta cheia de terroristas perigosos....
nao sei..
sim, foi mt cedo para atribuir o nobel... para ja nao merece assim tanto...

Tiago de la Rocha disse...

Os nossos verdadeiros malfeitores não são os Osamas, os Saddams ou seja lá quem for. Os nossos verdadeiros malfeitores são os americanos, com o seu egocentrismo desmedido e a mania que são os donos do mundo. E nós assistimos e ainda colaboramos...

Agora, o único entendimento que eu acho sequer admissível neste caso do Nobel é mesmo uma tentativa do Comité de exercer pressão sobre Obama para que cumpra com o que prometeu. Mesmo que assim seja, o objectivo do Nobel não é esse mas sim premiar quem se destacou (e não quem se pode EVENTUALMENTE destacar).